No meu tempo

/
4 Comments





Tenho vinte e poucos anos. Isso significa que sou filha dos  amados e extravagantes  anos 80. Minha infância durou até o final dos anos 90. O mundo, já dizia minha mãe, naquele tempo era diferente. 

Se sujar era lei, correr era regra, se machucar doía e era bom pra cacete! Canela arranhada era sinal de felicidade e cicatriz, prêmio de guerra. Nós, guerreiros pré-adolescentes, só queríamos ser os donos da rua, donos do mais alto galho de árvore, donos dos gols mais bonitos, das bonecas com melhor penteado (cabelos estes que ficavam duros de tanto hidrocor e água com sabão).

A Anna, uma das minhas melhores amigas na época, tinha uma Barbie vinda da Alemanha que não podia sair da caixa. Onde já se viu brinquedo que não se brinca? Vários anos se passaram desde as brigas no corredor do prédio e, hoje, em pleno dois mil e pouco, é crescente o número de brinquedos que não se brincam. A rua ficou perigosa e os piques perderam espaço. Os eletrônicos, a maioria antes só um monte de mitos futuristas, invadiram a Terra. A minha amiga, caro leitor, foi só a ponta do iceberg.

Saudosa época, a infância.

Meus maiores desafios eram convencer o meu pai a construir uma casa na árvore perto do velho trailer, convencer a minha mãe a me dar a boneca com mamadeira e os meus amigos, a só me esconder em vez de estar com o pique. Hoje, com o ganho de mais alguns anos vieram as responsabilidades, o conhecimento e alguns cabelos brancos, e eu já me tornei, quem diria, adulta. 

Agora sou eu quem tem dificuldade com os eletrônicos, as novidades me parecem cada vez mais de outro planeta e a tecnologia consegue, a cada dia, me deixar um pouquinho mais pra trás. "Falta de tempo", eu respondo para os mais novos. "Falta de tempo, tia?", caçoam as vozes mais agudas. "Falta de vergonha!".

No meu tempo existia respeito com o cidadão de vinte e poucos. O mundo era diferente naquela época. No meu tempo, caro leitor, não era assim.

— Ô Bia, e agora onde fica o botão dessa coisa pra parar de escrever?




You may also like

4 comentários:

  1. Adorei o texto... poxa, sempre falo que a gente era feliz e não sabia rs
    Porque com certeza nossa infância foi repleta de amizades e brincadeiras, enquanto vemos hoje em dia crianças que não sabem se socializar, embora sejam extremamente inteligente.
    Parabéns! Você escreve muito bem!

    ResponderExcluir
  2. Belo texto!!!
    Enquanto lia as lembranças foram aparecendo na minha mente... era assim mesmo! rsrsrs
    Pena que hoje em dia as crianças não vivem isso, mas é assim mesmo os valores mudam.
    Parabéns, adorei!!!
    Bjo!
    Das

    ResponderExcluir
  3. Belo texto!!!
    Enquanto lia as lembranças foram aparecendo na minha mente... era assim mesmo! rsrsrs
    Pena que hoje em dia as crianças não vivem isso, mas é assim mesmo os valores mudam.
    Parabéns, adorei!!!
    Bjo!
    Das

    ResponderExcluir
  4. Nossa, Vivian!! perfeito texto!! realmente não teve como não lembrar da saudosa infancia! suas palavras tem o poder de nos transportar para a época mais ilustre de nossas vidas, como no meu caso, que fui criança nos anos 90.Estou realmente emocionada com sua descrição tão fiel a esse período ímpar.Parabéns!!!!
    ah, e obrigada pelo carinho do seu comentário lá no meu bloguinho...me deixou super feliz!!! e amei seu bloguinho maravilhoso tbm,florzinha!!! ♥
    ✿ Beijinhos "cute" ✿
    Isa.

    ResponderExcluir