Sobre (maus) exemplos

/
12 Comments



Não ouse negar: todo mundo tem um lado B. Somos personalidades singulares com alguns pares de manias estranhas, fantasias excêntricas e histórias incríveis. Nem sempre somos a imagem do bom samaritano; todo mundo já torceu pro bandido em vez do mocinho algum dia. E ninguém te disse que não há nada de errado nisso.

Trabalhamos honestamente nos dias úteis e queremos descanso nos finais de semana. Brincamos de boneca, fizemos maquetes, prova oral, decoramos a tabuada e a regra de três. Mas não somos — sequer conseguiríamos ser — estrelas de comercial de margarina da vida real. Somos cérebros desejosos ansiando por satisfação. Nascemos egoístas. Aprendemos com o tempo o manual do ser adulto e seguimos os mandamentos do bom cidadão.

Mas, de vez em quando, precisamos urgentemente abraçar a nossa loucura — ou acabaremos loucos também. Mereça alguns palavrões. Declare férias do chato você, só por hoje.

Hoje é dia de ser o você que grita por liberdade. Lutemos, agora, pelo direito de uma vida inteira. Direito este, omitido por anos de treinamento social inconsciente. Hoje é dia de ser, simplesmente, você.

Pelo direito de acordar a hora que o sono acabar. Pelo direito de gastar alguns reais a mais. Pelo direito de comida safada, sem culpa. Pelo direito do sexo casual: só por fazer, só por prazer. Pelo direito de tomar um porre daqueles, pelo alívio de um bom puta que pariu, pelo direito de não ligar no dia seguinte, pela delícia de fugir da monotonia, pelo frio na barriga, pelo direito de errar.

O mau exemplo tem seu lado bom, também. Não assuma a responsabilidade fatigante de ser, para sempre, melhor ou igual. Preocupe-se com os anos perdidos tentando abafar todas as partes de si mesmo que não batem com o que prevê a hipocrisia social. Descanse essas costas cansadas da cruz que construíram para você. Hoje é dia de ser feliz.






You may also like

12 comentários:

  1. Amei Vi!!!

    Um VIVA a ser quem somos e a liberdade da vida sem julgamentos!!
    Eu que sei o alívio que um puta que pariu me traz!! ahuahau

    Eu amei tanto que até compartilhei no face, espero que você não se incomode!!

    Hoje é dia de ser feliz!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eba que bom que gostou, Juju!
      E não se preocupe, fiquei feliz por ter compartilhado :)

      Beijos

      Excluir
  2. Amei o texto!
    Tava pensando nisso exatamente ontem, esse negocio de ficar se escondendo pra agradar os outros, ou por causa de julgamentos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como pode, né?
      Nunca entendi bem esse esquema de viver sendo outra pessoa pra agradar alguém (ou alguéns, rs).

      Bjs

      Excluir
  3. Vivi... eu PRECISAVA desse texto!!
    Sabe, sou certinha demais e tenho uma dificuldade imensa de sair da rotina... Acho que por isso me pego triste muitas vezes!
    Obrigada pela injeção de ânimo!

    Beijos

    www.meumeiodevaneio.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahaha tão feliz por ter sido útil pra você, Sosô!
      :)

      Beijos

      Excluir
  4. Tenho feito muito disso nessas férias. Porque, quando voltar ao trabalho, serei cobrada a manter a retidão solene do lado A!
    (escola, sabe como é, né?!)

    Beijokas congeladas!
    (Frio da p@&%#)


    http://algumasobservacoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Escola é fogo. Eu dei aulas também, me formei no pedagógico... vivia tomando esporro por tudo! kkk

      Beijos

      Excluir
  5. Oi Vivian,

    Gostei bastante do texto, foi exatamente a sensação que fiquei logo depois que me demiti... É uma sensação de liberdade muito boa quando a gente não ta feliz né?

    Ah e que bom que gostou da TAG, pensei com bastante carinho quais blogs poderiam gostar dela ^^

    Beijos
    O Vitrô

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando me demiti, eu também fiquei com essa sensação! Essa liberdade, esse foda-se interno, tudo isso é tão incrível!

      Beijão

      Excluir
  6. Quando você falou que às vezes precisamos abraçar a loucura, me lembrei do Elogia da Loucura (leia, é bem legal) em que Erasmo de Rotterdã fala que praticamente só somos felizes por causa do loucura, pegando situações bem banais ele vai provando isso. Seu texto me lembrou um dos livros que inauguraram o Renascimento. estranho.

    http://florescerepalavrear.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda não li, mas com certeza vou procurar :)
      O Renascimento? rs Estranho.

      Beijos!

      Excluir