O que você não vê na tevê

/
11 Comments

Ontem, ao voltar do trabalho por volta das 18h, passei em frente à Candelária, onde manifestantes se preparavam com cartazes para a ir à luta. Houve uma pequena retenção no trânsito, mais especificamente por conta dos curiosos, que passavam buzinando com olhares atentos sob o grupo ainda reduzido. Os passageiros do ônibus que eu estava se levantaram a fim de espiar os cartazes e o início da manifestação, quando vozes, em reprovação, afirmavam: "Tudo um bando de vagabundo, baderneiro". 

É de conhecimento nacional as manifestações que têm acontecido nas maiores cidades brasileiras durante os últimos dias. A pauta é a mesma: o aumento do valor da passagem dos ônibus. Embora, em um primeiro momento, você pense que se trata de apenas vinte centavos, basta parar para pensar mais um pouquinho que logo se vê que o buraco é bem mais embaixo. Um exemplo disso é a mídia e o seu sensacionalismo barato, que tenta desesperadamente abafar as causas reais do ato público. 

Deu nos jornais que a fiança a ser paga pela liberdade dos manifestantes presos é de vinte mil. Vinte mil reais é dinheiro para cacete pela liberdade de alguém que luta pelos seus direitos - os deles, os meus, os seus. Esse cara que está preso é um perigo para a sociedade? Não, meus caros, é um perigo político. E eles estão incomodados! Quer perigo maior do que uma sociedade pensante?

Mas e o aumento da passagem, não conta? Conta sim! Conta muito. R$ 2,95 dói no bolso, no final do mês, daqueles que só têm o transporte público como opção. Não é só pelo dinheiro, é pela má qualidade do serviço, é a espera de quarenta minutos para voltar para casa que dói, é ônibus lotado para ir trabalhar, é despachante segurando motoristas por vinte minutos nos terminais porque falta ônibus para tanta gente. É o preço abusivo e o descaso com a sociedade que dói. 

Manifestantes são tachados de vândalos pela mídia nacional. Mas o que acontece por trás dos protestos você não vê. Não vê policiais quebrando a própria viatura para culpar a população. Não vê a PM iniciando a batalha durante a calmaria. Não vê que pessoas são presas por carregarem vinagre. Não vê pedestres atingidos pelas balas de borracha da polícia. Isso você não vê porque não é o que a mídia quer que você veja. 

O que você não vai ver na tevê:





Casal apanha mesmo depois do fim da manifestação.



Todo o poder emana do povo. - Art. 1º, Parágrafo Único, Constituição da República Federativa do Brasil.



You may also like

11 comentários:

  1. Isso é o que não entendo, e acho que nunca vou entender. Vivemos (teoricamente) em um país democrático, ou seja, o poder emana do povo, como você mesma escreveu. Mas se o povo faz uma manifestação, ou qualquer outra coisa para exigir leis melhores, seus direitos e etc. A policia, que é o estado, vem e silencia o povo. Povo... aham, sei.

    Eu me lembro da epoca que a passagem de ônibus na minha cidade era 1,25, eu ia de onibus pra escola. E foi aumentando, e aumentando... acho que aqui ainda não aumentou pra 2,80. Eu não ando muito de ônibus. Até porque na minha cidade a passagem é uma facada, a diferença entre ir a pé ou de ônibus é de questão de minutos, o onibus chega mais rápido, claro. Mas é melhor ir a pé do que ir de onibus, já que dentro do onibus é super apertado, tanto que desafia as leis da física.

    Fiquei impressionada com as fotos e com o video, claro que a TV nunca vai mostrar isso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Marina, tem muita gente que só acredita no que a mídia fala, porque não tem acesso aos outros tipos de informação. Eu estava dentro de um protesto sexta, em Niterói, embora não tenha ficado por muito tempo e enquanto estive por lá, vi o quanto foi pacífico. Helicópteros por todos os lados da imprensa e da polícia e policiais prontos pra qualquer conflito - que, de fato, houve no fim de tudo.

      Espero que esse cenário seja mudado!

      Beijãoo

      Excluir
  2. isso é um absurdo, as pessoas estão no seu direito de protestar!

    Myllena,
    Minhas Pequenas Verdades

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, Myllena, protestar não é crime!

      Beijos

      Excluir
  3. Por um lado eu vejo o aumento de determinados valores justos sim, afinal sobem de acordo com a inflação. O problema é quando o salário do povo não acompanha esses aumentos; o Haddad mesmo chorou para fazer o mesmo com o salário dos professores!

    Quanto aos R$0,20, não vejo que vai fazer diferença alguma pro bolso do trabalhador em si (pelo menos os não-autônomos). Quem vai sentir serão as empresas, pois são elas quem pagam o vale transporte. Mas, como disse, "o buraco é mais embaixo": defendo a luta pela qualidade do transporte público (eu mesma dependo dele também), da liberdade de expressão e do direito constitucional que é o de se manifestar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, não é só pelos centavos. É o que tem por trás de toda essa baderna...

      Beijão!

      Excluir
  4. e há quem diga que só estamos lutando por 20 centavos.
    aiai quase tudo que mostra na tv nem sempre é o que acontece né
    a midia é foda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo e repito as suas palavras: A mídia é foda!

      Beijão

      Excluir
  5. Concordo com você! Escrevi um post também sobre isso, porque as pessoas distorcem a realidade.
    É a forma de mascarar as reais intenções dos manifestantes.
    Mas está na hora de mostrar o que realmente acontece aqui.

    Beijos

    www.meumeiodevaneio.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou dar uma olhadinha no seu texto, ainda não li!
      Tá mais do que na hora, Sosô! Parece que vivemos em uma ditadura, não é mesmo?

      Beijão

      Excluir
  6. Muito legal o seu blog. Gostei muito, faço minhas as suas palavras sobre o momento que vivemos. Demorou para acordarmos!

    ResponderExcluir