Um brinde às nossas experiências

quinta-feira, julho 04, 2013 Vivian Loreti 11 Comments

   


"Mas amiga, se você desistir agora o que vai contar para os seus netos?", escuto em uma fila de banco. "Vou contar como cheguei onde estou e sobre as minhas vitórias", responde a mulher atrás de mim. Não sei do que ela estava desistindo e nem quais são as suas vitórias, mas a conversa ouvida pela metade me deu o que pensar.

Eu? Eu vou contar que sou Vivian porque assim decidiram o seu Paulo e a dona Regina em 1988. Vou contar que sonhei com uma irmãzinha ou um cachorrinho, mas nunca ganhei nenhum dos dois — e assim, reparei que o irmão que eu já tinha superava qualquer presente. Vou contar que jurei amizade eterna a duas amigas com quem cresci e que hoje moram em um reino tão distante, mas que até hoje não fui capaz de dizer o quanto sinto saudade da época naquele corredor.

Vou contar que também fiz novos amigos e que com eles conheci várias outras partes de mim. Com a menina da pele morena aprendi mais sobre mim do que jamais poderia. Vivi tanto com ela que, quando me vi sem ela, fiquei um tanto perdida. Tinha aprendido sobre dependência. A menina que vestia preto me motivou em uma nova fase e me ensinou sobre rebeldia. O rapaz dos olhos coloridos me incluiu em um novo habitat, me mostrou que amizade vai muito além do gênero e me ensinou sobre atenção. O rapaz dos óculos voadores me falou sobre fazer o que tenho vontade, a menina do cabelo bagunçado me ensinou a amar as diferenças, a menina dos cabelos de fogo me ensinou a aceitar o novo. E eu contarei sobre todos os amigos que entraram e os que saíram da minha vida — e que cada um teve uma participação especial. Eu já não me sentia mais sozinha.

Vou contar sobre meus amores — recíprocos e platônicos. Falarei sobre a viagem ao México que nunca fiz, sobre as cartas que nunca mandei, as pessoas que magoei, sobre os caminhos errados que escolhi. Farei questão de dizer que a vida é feita de prioridades e que para cada decisão tomada é criado um universo novinho em folha. Terei os porres para contar que tive, as madrugadas viradas, as paixões de uma só noite, as manhãs de dor de cabeça, a ressaca moral e as promessas de nunca mais. E toda semana o "nunca mais" era adiado outra vez, cedendo à tentação da boemia.

Vou contar do primeiro emprego, da solidão escolar, da vida de universitário e de como é difícil aprender sobre responsabilidade: vou rezar para que sejam crianças o quanto puderem!

Vou contar sobre as viagens, os amigos descartáveis e um pouco sobre saudade. Vou alertar sobre a dor que mais dói.

Contarei sobre os perigos da vida e mesmo assim deixarei claro a importância de viver neste mundo. Só se pode viver, vivendo!

E vou esperar que façam simplesmente o que quiserem. Porque é isso que gira o nosso mundo: a tão estimada liberdade. E não há nada mais aceitável que isso. Nós também fizemos o que queríamos, mesmo sabendo das consequências. Para meus netos, contarei sobre realidades e fantasias do mundo real — histórias que um dia contei pra mim mesma. Histórias que me fizeram sorrir até gargalhar, chorar até soluçar, ficar tímida até corar e sentir raiva até gritar. E que venham muito mais! Nós somos feitos de experiências: é o tapa na mão, a pimenta na boca, é a desilusão, é o que dá certo. Nós somos as consequências.






You Might Also Like

11 comentários:

  1. Vivian!
    Eu sou apaixonada pelo seu blog, cada vez uma surpresa! Fiquei encantada com seu texto! A maneira como você colocou sua vida. Achei realmente lindo!
    Vou ficar pensando sobre o que falarei para os meus netos agora... com certeza não contarei a minha história de um jeito tão bonito quanto você descreveu aqui! rsrsrs

    Bjinhos
    Ju
    asbesteirasquemecontam.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aaaah *.* Muito obrigada pelas palavras, Juju!
      Fez um coração feliz agora, rs.
      Beijão

      Excluir
  2. Oi linda, adorei seu blog e o texto e muito bom. vc escreve muito bem. beijos te sigo

    http://onemomentintimes1.blogspot.com.es/

    ResponderExcluir
  3. Oi Vivian, adorei o texto e me encantei com seu blog, achei lindo e encantador!

    Estarei sempre por aqui!

    Beijos

    http://danimedeiros.com.br/

    ResponderExcluir
  4. nossa, que texto lindo, amei <3
    Adorei seu blog e já estou seguindo, espero vc lá no meu, beijos ♥
    http://fashioonculture.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. AMEEI! Parabéns pelo trabalho!! *-*
    Beijos linda, sucesso! www.kaoliveira.com

    ResponderExcluir
  6. Que lindo o texto, Vivi!
    Caramba, parei para pensar em minhas próprias experiências de vida. Como vivemos e acabamos deixando partes importantes para trás, guardadas em caixinhas da memória que deveriam estar mais acessíveis, pois nos fazem muito bem.
    Somos sim o conjunto de nossas experiências, boas ou ruins, e devemos nos orgulhar disso, pois só nos faz sentir melhores a cada dia!
    Beijos

    www.meumeiodevaneio.com.br

    ResponderExcluir